Caxumba

web
 

webjulianaPor: Drª. Juliana Farias ( Pediatra )

A caxumba também é chamada de papeira e parotidite, onde o agente etiológico é o vírus da família Paramyxoviridae, gênero paramyxovirus. Consiste em uma doença viral aguda, de evolução benigna, caracterizada principalmente pelo aumento de volume das glândulas salivares – a parótida, podendo ocorrer também nas glândulas sublinguais ou submandibulares. Sintomas como febre, calafrios, dor de cabeça (cefaleia), dor ao mastigar e deglutir, além de fraqueza podem estar presentes.

Na puberdade e fase adulta, pode causar inflamação e inchaço doloroso dos testículos (orquiepididimite) nos homens, cerca de 25% dos casos, ou dos ovários (ooforite) nas mulheres, 5% dos casos, o que pode levar a esterilidade, sendo necessário redobrar a atenção nesses casos e ter acompanhamento médico.

É uma doença altamente contagiosa, sendo transmitida por contato direto com gotículas de saliva de pessoas infectadas. Possui um período de incubação entre 12 e 25 dias, já a transmissão varia entre 6 e 7 dias antes das manifestações clínicas e até o 9* dia após o surgimento dos sintomas. Devendo assim o paciente manter-se afastado de suas atividades regulares nesse período.

web

A prevenção é feita através da vacinação, que deve ser administrada em 2 doses, aos 12 e 15 meses de vida. Já os indivíduos que não foram vacinados, na faixa etária até 19 anos receberão a 1* dose da tríplice viral e a 2* dose com 30 dias de intervalo, e os maiores de 20 anos é necessário apenas 1 dose.

A caxumba é uma doença prevenível pela vacina Tríplice Viral (caxumba, rubéola e sarampo), que encontra-se disponível no programa de imunização nacional (rede pública de saúde). Nos últimos meses houve um aumento do número de casos de Caxumba no município do Rio de Janeiro, sendo todos vinculados a lugares de aglomeração (creches e escolas), diante desses casos é importante realizar a intensificação da vacinação, nos contatos do mesmo domicílio, sala de aula do caso suspeito, que estejam assintomáticos e não vacinados, para que estes não propaguem a doença.

O importante é manter a vacinação em dia, essa é a melhor forma de se prevenir e no caso de dúvida, procure seu médico.

Comentários

Comentários