Transtorno de ansiedade

A7H3YR A young woman biting her nails, close-up
 

Por Maria Célia Siqueira
Psicóloga e Psicanalista Clínica

Quem não fica ansioso antes de um evento, de uma prova, um exame, de um acontecimento muitas das vezes esperado e desejado. Nem toda ansiedade é considerada uma patologia. O grau de conceituação de ansiedade é proporcional às situações vivenciadas. É ela quem nos faz reagir em momentos de perigo eminente possibilitando que o indivíduo lute ou fuja. Então, a partir de que momento esse sentimento passa a ser considerado um transtorno?

Tema recorrente, os estados ansiosos patológicos, acarretam sérios conflitos afetando consideravelmente a rotina das pessoas.

Diferencia-se a ansiedade normal da patológica, pelo prolongamento e intensidade dos sintomas. Em estados normais, mesmo que o problema persevere, conseguimos de certa forma, nos adaptarmos a ele. Em quadros patológicos, o indivíduo fica impossibilitado de exercer suas funções rotineiras, apresentando sérios sintomas psicossomáticos como:
– Dificuldades para conciliar o sono
– Dores sem causa específica
– Sudorese
– Tensão muscular
– Falta de concentração
– Medo excessivo
– Falta de ar
– Palpitações
– Desconforto estomacal

Descartadas as hipóteses de problemas clínicos, a indicação seria a procura de um Psiquiatra, que é o profissional indicado para tratar os sintomas e fazer os encaminhamentos necessários.

Dicas para aliviar os sintomas numa crise de ansiedade:
– Respirar profundamente
– Procurar distrair a mente com alguma atividade
– Contrair e depois soltar a musculatura
– Pensar num lugar paradisíaco
– Analisar o medo, retirando o perigo da situação
– Exercícios físicos moderados

É importante lembrar, que este quadro requer acompanhamento médico especializado.

Comentários

Comentários